PodCasts

09/09/2020

Inflação atinge seu maior patamar no mês agosto desde 2016, segundo o IBGE.

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,24% em agosto deste ano. O resultado ficou abaixo do 0,36% de julho deste ano, mas é a maior taxa para um mês de agosto desde 2016, quando ficou em 0,44%. Em agosto, a inflação foi influenciada principalmente pelo aumento do custo dos transportes (0,82%) e dos alimentos (0,78%). Entre os itens de transporte com alta de preços no mês, destaca-se a gasolina (3,22%). Porém há um problema ainda maior: a percepção equivocada do Governo Federal, que enviou uma notificação por intermédio da Secretaria Nacional do Consumidor, ligada ao do Ministério da Justiça, para que representantes de supermercados e produtores de alimentos expliquem sobre o aumento no preço dos alimentos da cesta básica. Segundo o ministério, a Associação Brasileira de Supermercados (Abras) e as associações de produtores terão cinco dias para explicar a alta nos preços praticados, por exemplo, na venda do arroz.


08/09/2020

Número de IPOs em 2020 do setor varejista é maior que em uma década.

Cenário econômico atrativo para investidores faz com que empresas do varejo nacional busquem entrar na bolsa através de IPOs. Com taxa de juros (SELIC) na mínima histórica, investidores têm migrado para renda variável. No Brasil não há uma bolsa de tecnologia, como a NASDAQ, mas as empresas de varejo tem atraído os investidores com soluções inovadoras de comércio eletrônico e logística integrada. Outro fator que acelerou este modelo nas empresas se deu pela grande procura por compras de produtos online durante o auge da pandemia do coronavírus, somado ao auxílio emergencial, que por sua vez aumentou substancialmente o poder de compra das famílias atendidas pelo programa. 16 ofertas somam R$ 27,3 bi e ao menos 7 são de redes regionais, fora do eixo Rio-São Paulo, como a rede de farmácias Pague Menos, com sua sede em Fortaleza, ou a varejista Havan com sede estabelecida em Brusque.


08/09/2020

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


07/09/2020

Bolsas Europeias iniciam semana em alta, recuperando parte do tombo da semana passada e com perspectivas positivas, de olho em vacina contra COVID-19.

As bolsas Europeias fecharam com forte alta após notícia de possível vacina feita em parceria da Empresa AstraZeneca com a Universidade de Oxford. Após o fechamento em baixa nas ações de tecnologia na semana passada no mercado financeiro americano, a semana iniciou com notícia positiva e otimismo dos investidores com possibilidade de vacina contra o COVID-19. Enquanto os mercados Brasileiro e Americano não abriram durante o feriado, o movimento nas bolsas europeias pode indicar um início forte para esta semana.


04/09/2020

Bolsas de NY têm forte queda com tombo das ações de tecnologia na quinta-feira. Ibovespa acompanhou a queda, porém teve leve recuperação no fechamento de mercado nesta sexta-feira.

O tombo da ação da Apple não é um evento isolado, com os outros papéis de tecnologia acompanhando a queda, depois de também passarem por ralis acentuados. As ações da Microsoft (-4,47%), Alphabet (-3,83%), Amazon (-4,00%) e Facebook (-4,08%) também operaram todas em queda na quinta-feira. Desde julho, as ações das empresas de tecnologia seguem em alta, mas, de repente, todas passaram a ser vendidas porque na visão dos investidores há excesso de valorização nos mercados. Há um movimento de correção e realização de lucros, mas também há muitos recursos nas mãos dos investidores.


03/09/2020

Governo apresenta proposta de Reforma Administrativa ao Congresso.

Nesta quinta-feira (3), a proposta de reforma administrativa foi apresentada ao Congresso, propondo acabar com a estabilidade para parte dos futuros servidores públicos. Pelo texto, permaneceriam estáveis os servidores de carreiras típicas de Estado (que só existem na administração pública). Uma lei a ser enviada posteriormente listará quais serão essas carreiras. A proposta elimina uma série de benefícios existentes atualmente, apelidados de "penduricalhos”. Entre esses benefícios que o governo pretende extinguir estão a licença-prêmio e a aplicação da aposentadoria compulsória como forma de punição. As novas regras, se aprovadas, valerão para servidores dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário da União, estados e municípios. Os atuais servidores não serão afetados. Depois de aprovada a PEC, há outros projetos de lei que também precisam ser aprovados para que todas as regras entrem em vigor. Estão previstos projetos de lei para: • gestão de desempenho; • consolidação de cargos, funções e gratificações; • diretrizes de carreiras; • modernização das formas de trabalho; • arranjos institucionais; • ajustes no Estatuto do Servidor. O texto ainda precisa ser aprovado pela Câmara e pelo Senado para virar lei.


02/09/2020

PRONAMPE terá aporte de R$ 14 bilhões para 2ª etapa de concessão de crédito.

Nesta terça-feira (1) o PRONAMPE - Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte entrou na sua segunda etapa de execução com um aporte adicional de R$ 14 bilhões. Desse total, R$ 12 bilhões são recursos da União por meio do Fundo de Garantia de Operações (FGO), assegurados pela medida provisória (MP 997/2020) publicada na edição desta terça-feira (1º) do Diário Oficial da União, e mais R$ 2 bilhões que serão aplicados pelas próprias instituições bancárias. Segundo o Ministério da Economia, parte desse aporte de R$ 12 bilhões será destinada para algumas instituições financeiras regionais habilitadas: mais de R$ 21 milhões em crédito pela Agência de Fomento de Goiás; R$ 268 milhões pelo Banco do Nordeste (BNB); R$ 203 milhões pelo Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais (BDMG); R$ 282 milhões pelo Banco da Amazônia e R$ 730 milhões pelo Banco do Estado do Rio Grande do Sul (Banrisul). Para ter acesso ao crédito, o programa segue com as mesmas regras, oferecendo crédito com taxa de juros anual máxima igual à Selic (taxa básica da economia, fixada pelo Banco Central, que está em 2%) mais 1,25% sobre o valor concedido, com prazo de 36 meses para pagamento. O Pronampe empresta até 30% da receita bruta do ano anterior atendendo as microempresas (com faturamento de até R$ 360 mil no ano) e empresas de pequeno porte (com faturamento de até R$ 4,8 milhões no ano). Uma mudança importante nessa 2ª fase é a limitação para R$100 mil por empresa, para que os recursos possam atender o maior número possível de empresas beneficiadas.


01/09/2020

Auxílio Emergencial segurou queda ainda maior do PIB no 2º trimestre, de 9,7%.

Nesta terça-feira (1) o IBGE divulgou os números do PIB brasileiro, que teve um tombo histórico de 9,7% no 2º trimestre, na comparação com os 3 primeiros meses do ano, devido ao impacto da crise do coronavírus. Porém o que ficou demonstrado é que o Auxílio Emergencial foi o principal responsável por recompor a renda perdida de 60 milhões de pessoas, e por dar gás para o consumo, principal motor da economia brasileira. Os Principais destaques do PIB no 2º trimestre ficaram assim: Agropecuária: 0,4%, Indústria: -12,3% e Serviços: -9,7%. Pelo lado da demanda, Consumo das famílias: -12,5%, Consumo do governo: -8,8%, Investimentos: -15,4%, Exportação: 1,8%, Importação: -13,2%. Serviços e indústria tiveram queda recorde entre os segmentos, a maior queda foi na indústria (-12,3%), seguida por serviços (-9,7%). A agropecuária teve alta de 0,4%. Vale lembrar que somados, indústria e serviços representam 95% do PIB nacional. Sem o Auxílio Emergencial, a queda do PIB poderia ser ainda maior. Algo entre 12% e 15%.


31/08/2020

Déficit fiscal do setor público foi o maior da história para o mês de julho e dívida sobe para 86,5% do PIB, de acordo com Banco Central.

Nesta segunda-feira (31) o Banco Central informou que as contas do setor público consolidado, que engloba o governo federal, os estados, municípios e empresas estatais, registraram que após três recordes mensais consecutivos, o déficit primário do setor público consolidado reduziu-se de R$188,7 bilhões, em junho, para R$81,1 bilhões, em julho. De acordo com a série histórica do BC, que tem início em dezembro de 2001, esse também foi o pior resultado para o mês. Ou seja, foi o pior mês de julho em 19 anos. No mesmo mês de 2019, o déficit fiscal foi de R$ 2,763 bilhões. No acumulado em 12 meses até julho, o déficit primário do Setor Público Consolidado alcançou R$537,1 bilhões (7,48% do PIB), alta de 1,11 p.p. em relação ao mês anterior. Já a Dívida Líquida do Setor Público (DLSP) atingiu em julho 60,2% do PIB, elevação de 2,2 p.p. no mês. O governo federal enviou ao Congresso Nacional o projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2021, com a previsão de receitas e despesas da União para o próximo ano. A proposta, que reparte os recursos da União entre os ministérios, deve ser analisada pelos congressistas até o fim do ano para que a lei seja aplicada no ano que vem. O orçamento apresentado aponta para um déficit de 11% do PIB em 2020, e 3% em 2021. PIB projetado para 2021 é de 3,2% de crescimento e queda em 2020 de 4,7%. Estas informações impactam na definição da apresentação do Renda Brasil, agendado para amanhã.


31/08/2020

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informac?o?es importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentac?o?es da economia e do mercado. Na?o deixe de escutar e mantenha-se informado.