PodCasts

28/08/2020

Governo Federal deve estender o Auxílio Emergencial até o fim do ano com valor de R$300,00 e anunciar o Renda Brasil na semana que vem.

Nesta sexta-feira (28) o Ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que quem dá o "timing" sobre temas como a prorrogação do auxílio emergencial e a criação do Renda Brasil é a política. Guedes disse ainda que a equipe dele tem simulações prontas sobre os gastos que os benefícios vão acarretar. Nos últimos dias, a área econômica do governo tem buscado uma maneira de viabilizar o programa Renda Brasil, que pretende ser o novo Bolsa Família. Também é discutida uma prorrogação do auxílio emergencial até o fim de 2020, caso o Renda Brasil não seja aprovado antes. A equipe econômica do governo planeja chegar a um valor pedido pelo presidente Jair Bolsonaro para a prorrogação do auxílio emergencial até o fim do ano em torno R$ 300. As contas do governo registraram um déficit primário de R$ 505,187 bilhões de janeiro a julho deste ano. A informação foi divulgada nesta sexta-feira (28) pela Secretaria do Tesouro Nacional.


27/08/2020

O Presidente do Fed anunciou nova política monetária com inflação mais volátil, mantendo taxa de juros baixa.

Nesta quinta-feira (27) o Federal Reserve anunciou uma grande mudança em sua política, dizendo estar disposto a permitir que a inflação aumente um pouco mais que o normal como forma de apoiar o mercado de trabalho e a economia em geral. Em uma medida que o presidente do Fed, Jerome Powell, chamou de “atualização robusta” da política do Fed, concordou formalmente com uma política de “metas de inflação média”. Isso significa que permitirá que a inflação corra “moderadamente” acima da meta de 2% do Fed “por algum tempo” após períodos em que estiver abaixo desse objetivo. Os mercados, assim, aguardaram sinalizações do próprio governo quanto à situação fiscal enquanto esperavam pelo discurso de Jerome Powell nesta manhã, o que deixou o dólar em leve baixa.


26/08/2020

Pesquisa do LIDE Pernambuco traz avaliação de empresários sobre as consequências da pandemia e os horizontes de recuperação da economia.

O LIDE Pernambuco divulgou os resultados de uma pesquisa realizada com objetivo de captar as percepções dos empresários de Pernambuco sobre as consequências da pandemia e os horizontes de recuperação da econômica. A pesquisa trouxe 388 questionários integralmente respondidos. Destes, 64% ligados ao LIDE Pernambuco, entre 6 e 17 do mês de agosto, sendo 44% oriundos do setor de serviços, 19% da indústria, 17% do comércio, 6% de tecnologia e 3% ligados ao agronegócio. Empresas com faturamento entre R$10 Milhões a mais de R$1 bilhão anuais participaram. Durante a pesquisa, alguns dados foram destacados como a percepção dos empresários sobre o efeito do coronavírus em suas empresas, onde a cada 5 empresários, 3 consideram que foram afetados ou muito afetados pela pandemia do coronavírus, e apenas 3% dizem que não foram afetados de forma alguma. Quanto à expectativa em relação à duração da crise do coronavírus, observou-se que, numa perspectiva de 12 meses, a maioria (54%) dos empresários acredita que a crise ainda persistirá de 6 a 12 meses. Apenas 1 em cada 4 apostam que ela durará mais de 12 meses, enquanto praticamente o mesmo número de empresários acha que ela será passageira, durando, no máximo, mais 6 meses.


25/08/2020

Governo anuncia Programa Habitacional com foco no Norte e Nordeste.

Nesta terça-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro assinou a medida provisória que cria um novo programa de habitação do Governo Federal, batizado de Casa Verde e Amarela, concebido para substituir o Minha Casa, Minha Vida, criado em 2009 com o objetivo de reduzir o déficit habitacional no país. O programa passa a dividir o público alvo em 3 grupos e, além de financiamento de imóveis, também prevê ações voltadas à regularização fundiária, reforma de imóveis e retomada de obras. A previsão do governo é oferecer para o programa até o fim deste ano R$ 25 bilhões do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e R$ 500 milhões do Fundo de Desenvolvimento Social (FDS, fundo privado, mantido por bancos) e gerar 2,3 milhões de novos postos de trabalhos até 2024, entre diretos, indiretos e induzidos.


24/08/2020

Governo Federal adia data de lançamento do Programa Econômico PRÓ-BRASIL.

Previsto para Terça-Feira (25) o anúncio do Programa econômico Pró-Brasil, por decisão do Governo Federal seu lançamento foi adiado. Composto por medidas nas áreas sociais e econômicas, a justificativa é que as medidas que serão anunciadas ainda não estão totalmente prontas. O evento vem sendo chamado por Guedes de “Big bang day” do governo, que irá lançar num só dia o chamado Renda Brasil, medidas para geração de empregos, novos marcos legais e ações para corte de gastos. Todas as ações estarão sob o guarda-chuva do programa batizado pelo governo de Pró-Brasil. Apesar do adiamento do anúncio do pacote de Guedes, está mantida a apresentação do novo Minha Casa, Minha Vida, programa habitacional marco das gestões petistas que o governo irá rebatizar de “Casa Verde Amarela”. Esse programa está sob a responsabilidade do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.


24/08/2020

O que vem por aí na Semana Econômica!

O que vem por aí na Semana Econômica! Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


21/08/2020

Pernambuco no mês de Junho apresentou recuperação mais forte em relação a outros estados do NE.

O Índice de Atividade Econômica Regional (IBCR), apresentado pelo Banco Central, para o mês de junho foi divulgado e apresentou resultados positivos para Pernambuco em relação aos demais estados. Numa análise comparativa regional, Pernambuco se destacou em relação a estados vizinhos como Ceará e Bahia na retomada econômica


20/08/2020

Câmara reverte votação do Senado e mantém veto a reajuste de servidores.

Na quarta-feira (19), o Senado derrubou o veto presidencial que impedia reajuste de servidores até o final de 2021. O impedimento dos reajustes foi a única contrapartida pedida pelo governo para conceder aos estados e municípios uma ajuda de R$ 60 bilhões em meio à pandemia do novo coronavírus. Na noite desta quinta-feira (20), por 316 a 165 votos, a Câmara dos Deputados manteve o veto presidencial.


19/08/2020

PRONAMPE será prorrogado por mais três meses pelo Governo Federal e terá novo aporte de recursos.

Nesta quarta-feira, o Governo Federal anunciou que prorrogará por três meses o prazo para oficialização das operações de crédito do Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o PRONAMPE. O programa foi criado para socorrer o setor em meio à pandemia do novo coronavírus. A linha de crédito é destinada a microempresas com faturamento de até R$ 360 mil por ano; e pequenas empresas com faturamento anual de de R$ 360 mil a R$ 4,8 milhões. A primeira parcela de recursos disponibilizados por meio do programa, de R$ 18,7 bilhões, se esgotou em pouco menos de um mês. O Congresso autorizou, mediante mudanças na medida provisória que criou a linha de crédito, a destinação de uma nova parcela de R$ 12 bilhões ao PRONAMPE.


18/08/2020

Segundo a pesquisa Pulso Empresas do IBGE, o número de empresas prejudicadas pelo COVID-19 caiu para 44% e oito em cada dez empresas mantiveram funcionários contratados na primeira quinzena de julho.

Nesta terça-feira (18) o IBGE apontou na pesquisa Pulso Empresas que cerca de quatro em cada dez empresas que estavam em funcionamento na primeira quinzena de julho sofreram algum tipo de prejuízo decorrente da pandemia do coronavírus. De acordo com a pesquisa, 2,8 milhões de empresas estavam em funcionamento na primeira quinzena de julho, porém o setor já percebe uma melhora, visto que, na quinzena anterior, o impacto negativo atingiu 62,4% das empresas. A pesquisa também mostrou que entre os setores econômicos, foi o de serviços o que mais relatou efeitos negativos da pandemia, atingindo 47% de 1,2 milhão de empresas do setor. Ainda segundo o IBGE, a manutenção dos empregos foi um comportamento disseminado entre os setores econômicos - indústria (79,2%), comércio (77,6%), construção (77,6%) e serviços (84,3%).