PodCasts

30/08/2022

IGP-M caiu 0,70% em agosto e apresentou uma queda generalizada de preços

No acumulado em 12 meses, o IGP-M apresenta agora uma redução para 8,59%, menor patamar desde junho de 2020. Dos 3 índices que compõem o IGP-M, somente o INCC teve elevação, mas desacelerou para 0,33%. Ao contrário do efeito direto da queda dos preços dos combustíveis no IPCA-15, o IGP-M apresentou uma redução em diversos itens que fazem parte do IPA – Índice de Preços ao Produtor Amplo, de matérias-primas brutas (-0,63%), bens intermediários (-0,76%) e finais (-0,73%). O IPA representa 60% do IGP-M e caiu 0,71%, com destaque para os itens: mine?rio de ferro (-5,76%); milho em gra?o (-1,54%); algoda?o em caroc?o (-4,43%); itens bovinos (-2,01%); cafe? em gra?o (-1,65%); e, trigo em gra?o (-4,99%). A queda influenciará o IPCA mais adiante. Já o IPC – Índice de Preços ao Consumidor, representa 30%, e se assemelha ao IPCA. Ele recuou ainda mais (-1,18%) e 4 das 8 classes de despesas tiveram deflação: Transportes (-4,84%); Educac?a?o, Leitura e Recreac?a?o (-3,07%); Comunicação (-0,83%); e, Habitação (-0,31%). O INCC – I?ndice Nacional de Custo da Construc?a?o variou 0,33% em agosto. Os 3 componentes do INCC registraram as seguintes variac?o?es: Materiais e Equipamentos (0,03%), Servic?os (0,68%) e Ma?o de Obra (0,54%). Essa foi a menor variação do INCC no ano de 2022


29/08/2022

Retomada dos empregos formais continua no mês de julho, com 7º mês consecutivo de geração de empregos com carteira assinada

O CAGED de julho mostrou que os empregos formais avançaram novamente, puxados pela recuperação do setor econômico que mais emprega na economia brasileira. De acordo com o Ministério do Trabalho, 1,56 milhão de vagas formais de emprego foram criadas no país entre janeiro e julho. A previsão para o ano todo era de geração de 1,5 milhão de empregos e esse patamar foi alcançado ainda faltando 5 meses para o término do ano. O governo informou que o salário médio de admissão foi de R$ 1.926,54 em julho deste ano, o que representa alta real de R$ 15,31 em relação a junho (R$ 1.911,23). De acordo com o Ministério do Trabalho, esse foi o 2º mês seguido de aumento real no salário médio de contratação. Todos os 5 setores da economia geraram saldo positivo na contratação de mão de obra formal, mas o setor de serviços continua em sua forte recuperação, sendo responsável, sozinho, por mais de um terço das vagas líquidas geradas no mês, seguido pela indústria e a construção. Todas as regiões criaram vagas no mês de julho, mas o destaque, novamente, vem com a região Sudeste, com quase 50% das vagas criadas, seguido pelo Nordeste, que teve geração de 49.215 vagas líquidas. Vamos agora aguardar o resultado da PNAD com relação à taxa de desemprego.


29/08/2022

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


26/08/2022

PIB Potencial do Brasil dá espaço para maior crescimento em 2022 e já está acontecendo

O hiato do PIB, que mede a distância entre o PIB real e o PIB potencial está reduzindo, mas ainda há margem para maior crescimento sem estrangulamentos em setores ou inflação adicional. O PIB potencial é uma medida teórica, que leva em consideração o quanto a economia cresceria em um cenário sem inflação descontrolada, com emprego em patamar que não pressiona a economia, ou seja, um ambiente sem pressões inflacionárias. Ele anda lado a lado com o PIB real. Em momentos de crise, há um descolamento entre os dois PIBs e isso se dá pelo aumento da ociosidade na economia causada por incertezas econômicas, políticas ou externas. De 2015 para cá, o país tem ficado com uma diferença muito grande, com um PIB real abaixo do potencial. O PIB tem surpreendido positivamente, em parte devido a medidas do governo como antecipação do FGTS e o teto do ICMS, gerando uma expansão que não vinha sendo precificada pelo mercado, além de uma reação do setor de serviços com a concretização da reabertura da economia. Essa diferença caiu substancialmente e a ociosidade ainda existe, mas é bem menor que nos momentos do auge das crises que o país passou. O movimento obrigou os analistas a revisarem suas previsões para o PIB real de 2022, do início do ano para cá, como visto no Boletim FOCUS. É certo que o ano de 2022 terá um crescimento bem superior ao que se esperava inicialmente. Para 2023, porém, as incertezas são muitas. Os analistas, novamente, falam em um crescimento muito baixo, com um risco fiscal muito elevado. Pode ser que se surpreendam novamente.


25/08/2022

População ocupada no Brasil passa de 100 milhões

O IPEA divulgou que o número de pessoas ocupadas no país chegou a 101,2 milhões após o ajuste sazonal no mês de junho, indicando um recorde da série histórica iniciada em janeiro de 2012. O nível de ocupação chegou a 58,3%. Por sua vez, a taxa de desocupação, também dessazonalizada, caiu para 8,9%. O crescimento significativo da população ocupada vem desencadeando quedas significativas da taxa de desocupação. Foi a 13ª queda consecutiva em junho, menor patamar desde julho de 2015. Em junho de 2022, embora a população desempregada ainda fosse de aproximadamente 10 milhões de trabalhadores, este contingente possuía 4,3 milhões de pessoas a menos em relação ao observado em junho de 2021, o que representa uma queda de 30,1% e 2,3% em relação a maio. Em relac?a?o a? posic?a?o da ocupac?a?o, os dados ainda apontam uma expansa?o maior da ocupac?a?o informal, com variac?a?o interanual de 21,9% dos empregados sem carteira, o emprego privado formal tambe?m mostra bom comportamento, com alta de 12,2%, na mesma comparac?a?o.


24/08/2022

Inflação já está abaixo de 10%

O IPCA-15 apresentou deflação de 0,73% para agosto e no acumulado em 12 meses, o índice caiu para 9,6%. Essa foi a maior queda de toda a série histórica iniciada em novembro de 1991 pelo IBGE. O acumulado do ano está em 5,02% e pode cair. Entenda. Essa é a 1ª vez no ano que o acumulado de 12 meses fica abaixo de 10%. Na realidade, a última vez que ficou abaixo de 10% foi em agosto de 2021. De lá para cá, a pressão inflacionária fez com que o índice ficasse mais do que o dobro do teto da meta de inflação, 5,0% em 2022. A gasolina foi o principal item que influenciou a queda, sendo responsável, sozinha, por um impacto de -1,07 ponto percentual. Dos 9 grupos pesquisados, 3 apresentaram deflação no período: Transportes, com uma queda expressiva de 5,24%, habitação, -0,37% e comunicação, -0,30%. Alimentação e Bebidas foi, novamente, o grupo que trouxe mais peso na elevação do IPCA-15, com impacto de 1,12%. Mas, a boa notícia é que o índice de difusão, que mede a quantidade de itens que tiveram aumento de preços no período, diminuiu novamente, indo de 67,8% para 65,1%. O IPCA, ao invés do IPCA-15, representa a inflação oficial. A expectativa é que o IPCA se comporte na mesma direção quando o mês virar. Vale lembrar que em agosto de 2021, o IPCA subiu 0,87%. Caso venha a cair 0,73% em agosto desse ano, o acumulado em 12 meses cai para 8,47%.


23/08/2022

Caixa lança linha de crédito de crédito de R$ 1,1 Bilhão

MEIs, MPEs e empresas com faturamento até R$ 300 milhões poderão ter acesso ao crédito pelo GiroCaixa FGI, reaberto desde segunda pelo BNDES. A expectativa é que os recursos acabem rápido por conta da alta demanda. O limite inicial disponível foi de R$ 1,1 Bilhão para empresas com receita bruta entre R$ 81 mil até R$ 300 milhões. Pois é, os Microempreendedores Individuais (MEIs) agora também foram contemplados. Os recursos já tiveram uma demanda de R$ 200 milhões somente no 1º dia. As empresas podem solicitar entre um valor de R$ 5 mil até R$ 10 milhões, a depender da análise de crédito de cada uma. A taxa de juros inicia em 1,18% ao mês, com prazo de 60 meses e carência de 12 meses. As taxas, limites e prazos vão depender do porte e análise de risco. Os recursos podem ser utilizados para investimentos, como aquisição de máquinas e equipamentos, como também para despesas operacionais, pagamento de salário de empregados, compra de matérias-primas, mercadorias e outros. Essa flexibilidade é bastante importante para as empresas. A garantia é baseada no FGI, que responde por 80% do valor do crédito. O restante é assegurado por aval dos sócios, mas outras garantias podem ser solicitadas, dependendo da análise de cada empresa. Um ponto importante, é que não será cobrada Taxa de Abertura de Crédito (TAC). O PRONAMPE, por sua vez, já foi responsável por R$ 5,7 Bilhões em operações na Caixa nessa versão mais recente. As empresas de pequeno porte (EPPs) respondem por R$ 4,8 Bilhões. A Caixa informou que pode operacionalizar até R$ 19,8 Bilhões e tem 29,2 mil clientes pré-aprovados. É importante analisar com critério a aplicação desses recursos, que tragam bom retorno, pois os financiamentos estão mais caros, com a SELIC mais alta (13,75%), e as parcelas precisam caber no fluxo de caixa da empresa, para não deixar o negócio estrangulado, sem liquidez. Também vale a pena comparar com as taxas oferecidas nas operações do BNB no NE, BASA no NO e Banco do Brasil no CO. Esses bancos repassam recursos subsidiados de fundos constitucionais e têm taxas muito atrativas, competindo com vantagem sobre os recursos do FGI e PRONAMPE.


22/08/2022

Mercado já precifica inflação encerrando 2022 abaixo de 7%

O Boletim FOCUS dessa semana apresentou uma projeção do IPCA para 2022 em 6,82%, abaixo dos 7,02% da semana passada. Essa expectativa volta ao mesmo patamar de março de 2022, pouco depois da invasão russa à Ucrânia. No auge da problemática envolvendo o preço do barril de petróleo e de outras commodities agrícolas, como o trigo, a expectativa do IPCA para 2022 chegou próximo dos 9%, mas recuou fortemente depois da imposição do teto de ICMS e da queda dos preços do petróleo e do Dólar. Os resultados do IPCA para os meses de julho e agosto irão contribuir para a convergência da inflação para esse patamar mais baixo. Na última semana, tão somente, o preço da gasolina caiu quase 2%, segundo a ANP, o que impacta fortemente na formação do IPCA em agosto. Por conta disso, a SELIC deve fechar o ano em 13,75%, previsão mantida desde junho, precificando o controle da inflação de 2023, que também teve redução na previsão de crescimento. A SELIC de 2023, por sua vez, deve ficar em 11%, mas talvez seja reduzida, se o IPCA cair mais. O PIB, por sua vez, apresentou nova expectativa de crescimento para 2022, agora acima de 2%. É impressionante como os analistas erraram no início do ano, subestimando a retomada do setor de serviços, principalmente. Em janeiro chegaram a prever o PIB de 2022 em 0,25%. O erro vai se repetir em relação a 2023? A expectativa é de um crescimento de 0,39%, indicando trimestres de recessão. Mas por que tão pouco? Por conta da SELIC elevada? Ou por conta do resultado das eleições e da retirada de estímulos? Os modelos precisam ser melhor calibrados!


22/08/2022

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


19/08/2022

União Europeia procura Brasil para restabelecer negociações do acordo com Mercosul

Após longo período de tratativas paralisadas, representantes da UE procuraram o Itamaraty e o Ministério da Economia. Esse é um sinal claro de redesenho das cadeias globais de valor. Entenda. As negociações estavam paralisadas desde 2021 sob alegações da União Europeia com questões climáticas envolvendo o Brasil. A invasão russa à Ucrânia mostrou que o cenário geopolítico internacional mudou e eles agora entendem que não podem mais contar somente com a Rússia. A verdade é que eles precisam voltar a discutir o acordo entre Mercosul e União Europeia justamente porque precisam de commodities agrícolas, minerais e energéticas. Há um problema de disrupção da cadeia de suprimentos e excessiva dependência da Ásia, principalmente China. os europeus disseram que estão interessados em ratificar o acordo e os dois lados da mesa discutirão os termos. A previsão do Governo Brasileiro é que a carta com a proposta de compromissos adicionais na área ambiental seja recebida até o fim deste ano, mostrando nova dinâmica. O acordo comercial beneficia ambos os blocos. O Brasil tem aumentado significativamente sua dependência comercial com a China, o que representa um risco para o país e submete os exportadores brasileiros a negociações muitas vezes desvantajosas para os produtos brasileiros. A diversificação e acesso a novos mercados é importante para brasileiros, que podem negociar preços e evitar crises de logística, como os recentes problemas ocorridos na China. Para a UE, o acesso ao Mercosul diminui a pressão inflacionária, em crises como a atual na Rússia.