PodCasts

07/12/2021

Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado quer resolver o problema do preço dos combustíveis e criar vários outros!

Os senadores aprovaram projeto que cria bandas de preços que terão como fonte um imposto sobre exportações de petróleo e outras medidas danosas à economia. No Programa de Estabilização de preços do diesel, gasolina e GLP, quando os preços estiverem baixos, os recursos oriundos da diferença entre o preço de mercado e o limite inferior da banda serão acumulados para serem utilizados quando os preços ficarem acima da banda superior. Para financiar este programa é claro que será criado um imposto, mas pior ainda, de exportação! O imposto poderá chegar até os 20%, sendo cada vez maior quando o preço do barril aumentar. Dessa forma, o petróleo brasileiro ficará mais caro e menos competitivo lá fora. Essa medida, por si só, já é um desastre, pois irá afastar quaisquer investimentos em novos campos de petróleo no Brasil. Os investidores, nacionais e internacionais, não terão interesse em produzir algo limitado a somente o mercado nacional. A Petrobras também sairá perdendo. Mas o dano não para por aí! O projeto também resolve utilizar dividendos da Petrobras devidos à União, recursos de concessões e partilhas de exploração e até reservas cambiais do Banco Central. Vale lembrar que as reservas são importantes para proteger o país em crises cambiais. O projeto irá agora para o plenário do Senado e se espera um pouco mais de discernimento econômico por parte dos senadores para que esse projeto não prospere. Os danos serão muito maiores que o desejo dos parlamentares em controlar os preços de mercado. O correto no Senado não foi feito. Uma Reforma Tributária que pudesse diminuir a carga sobre o consumo de bens industrializados, inclusive os combustíveis. Vale lembrar que a carga tributária somente sobre a gasolina, incluindo ICMS, CIDE, PIS/PASEP e COFINS, passa dos 45%.


06/12/2021

PIB de Pernambuco cresce 0,7% no 3º trimestre e afasta o estado de uma recessão técnica.

Os setores de serviços e agropecuário foram responsáveis pelo crescimento do estado, despontando do desempenho negativo nacional no mesmo período. Entenda melhor o que aconteceu. No acumulado do ano, o Brasil ainda apresenta um desempenho melhor que o Estado de Pernambuco, com um crescimento de 5,7% vs. 5,1%. Isso demonstra que o setor de serviços, que representa mais de 75% do PIB em Pernambuco e 70% no Brasil, demorou mais a se recuperar. O resultado positivo de Pernambuco no 3º trimestre, na comparação com o Brasil, mostra que a agropecuária teve um resultado positivo de 0,2%, contra queda forte de 8,0% no Brasil, enquanto o setor de serviços cresceu 0,7% em Pernambuco vs. 1,1% no Brasil. Já a indústria, essa teve um desempenho estável no Brasil, com crescimento de 0,0% e em Pernambuco, após um crescimento muito forte no 2º trimestre de 25,8% na comparação anual, teve uma queda na passagem do trimestre de 3,4%, reflexo de mais incertezas e SELIC mais alta. A expectativa para o setor agropecuário brasileiro é de continuar em queda no 4º trimestre. Em Pernambuco, o setor sucroalcooleiro vai ajudar. Já no setor de serviços, tanto no Brasil quanto em Pernambuco, o resultado será positivo, com maior vacinação e abertura da economia.


05/12/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


03/12/2021

Após o país entrar em recessão técnica, como será o desempenho do PIB no último trimestre e em 2022?

A preocupação com a perda de fôlego da economia no final de 2021 está preocupando ainda mais em relação ao desempenho num ano cheio de incertezas, que será 2022. O desempenho do agronegócio no 4º trimestre deverá ser fraco novamente. No 1º trimestre de 2022 deve voltar a apresentar um crescimento forte, como sempre tem sido, mas dessa vez com uma participação maior na composição do PIB, já que a indústria e serviços estão patinando. A indústria apresentou a 5ª queda seguida mensal em outubro, demonstrando que as incertezas, o aumento dos juros e a crise de oferta de insumos têm prejudicado o setor. O setor de serviços vem apresentando uma recuperação importante, mas as incertezas da Ômicron preocupam. O ano de 2022 terá investimentos mais baixos que em 2021 e isso é ruim. As incertezas são maiores em ano eleitoral, há uma inflação nos bens de investimentos: construção civil mais cara e máquinas e equipamentos importados impactados pelo câmbio. Além da SELIC a 11,75% em 2022. Ao final de 2022, o país terá uma inflação controlada em 5% por conta da forte atuação do Banco Central na política monetária, mas isso fará a economia andar de lado. O crescimento poderá ser ainda menor do que o esperado, com setores e regiões com desempenhos diferentes. É possível que o ano alterne trimestres de crescimento positivo com outros de queda no PIB. O desempenho do setor de serviços será importante para que a economia não tenha uma recessão prolongada em 2022. O Auxílio Brasil e os gastos em investimentos dos estados ajudarão também.


02/12/2021

PIB apresenta queda de 0,1% no 3º trimestre e o Brasil entra em recessão técnica.

Apesar do setor de Serviços ter apresentado recuperação com elevação de 1,1%, o setor agrícola foi o grande responsável pelo resultado, com queda de 8% no período. Sabe o que causou essa queda? Apesar do setor agrícola até antes da pandemia representar somente 5% do PIB brasileiro, nos últimos anos e principalmente em 2020 e 2021, sua participação cresceu para um patamar que deve ficar em 8% em 2021, por conta do fraco desempenho da indústria e dos serviços. O setor de Serviços apresentou um crescimento de 1,1% no período, esboçando uma recuperação com a maior vacinação e flexibilização das atividades sociais que demandam mais contatos pessoais. Mas isso não foi suficiente para se contrapor a forte queda do agronegócio. A queda do agronegócio impactou diretamente as exportações, também, que caíram 9,8% junto com a queda de 0,1% dos investimentos, pelo lado da demanda. Mesmo com um consumo das famílias e gastos do governo positivos, 0,9% e 0,8% respectivamente, o resultado não ajudou. O setor agropecuário normalmente apresenta queda no 3º trimestre, mas esse ano foi fortemente impactado pela crise hídrica, que derrubou a produção de café (-22,4%), algodão (-17,5%), milho (-16%), laranja (-13,8%) e cana (-7,6%) na comparação anual, que têm forte peso no PIB. O IBGE fez uma revisão significativa no resultado do PIB do agronegócio em 2020, fazendo com que a base de comparação para 2021 seja muito forte. Essa mudança colaborou para que o crescimento no 3º trimestre fosse fraco e deve também repercutir no 4º trimestre.


01/12/2021

OCDE divulga expectativas para crescimento mais modesto em 2022 e 2023.

O Brasil deve crescer 5% em 2021, 1,4% em 2022 e 2,1% em 2023. As estimativas para os países caíram por conta de preocupações cada vez maiores com a inflação, gargalos de oferta e taxas de juros mais altas. A OCDE realinhou suas expectativas, se aproximando mais do que os analistas brasileiros têm apresentado semanalmente no Boletim Focus. Crescimento em 5% para 2021, onde o Boletim Focus fala em 4,78% e 1,4% para 2022, onde o os analistas entrevistados indicam 1,2%. Em sua análise relativa ao Brasil, a OCDE aponta que “a incerteza política prolongada e o aumento do risco fiscal podem minar a credibilidade das regras fiscais, desancorar as expectativas de inflação e reduzir o crescimento do investimento”, comprometendo um crescimento maior. Em sua primeira divulgação referente ao ano de 2023, A OCDE projeta a economia global voltando ao ritmo de avanço pré-pandemia em 2023, com uma taxa de crescimento de 3,2%. Para 2021, o ritmo de crescimento mundial caiu para um patamar ainda forte de 4,5%. As perspectivas para os EUA, China e Zona do Euro diminuíram, destacando a preocupação com a inflação e a recuperação desequilibrada. A questão da inflação, inclusive, foi abordada essa semana por Jerome Powell, presidente do FED, como não mais um problema “transitório”.


30/11/2021

Taxa de Desemprego recua para 12,6%, ajudada pelo comércio e reativação do setor de serviços.

Em março, a taxa chegou ao patamar de 14,9%. Desde então, vem apresentando queda contínua, puxada pela maior vacinação e abertura do mercado. A variante Ômicron, porém, pode atrapalhar. A Taxa de Desemprego deve continuar caindo ao longo do ano e talvez feche 2021 num patamar próximo daquele de antes da pandemia, 11%. Para que isso aconteça, o setor de serviços e as vendas do comércio no final do ano precisam ser fortes em sua recuperação, demandando empregos. A renda real apresentou uma forte queda para um patamar abaixo daquele de setembro de 2016. O principal responsável por isso é a inflação, que ao longo do ano derrubou o poder de compra das famílias e só é reajustado no início de cada ano, com o reajuste do salário-mínimo. A nova variante do COVID-19, a Ômicron, por sua vez, pode ser a água no chope dessa recuperação dos empregos, principalmente no setor de serviços, os informais, caso ela leve a decisões restritivas mais sérias por parte dos Governos em relação aos eventos e festas de fim de ano. Esse impacto pode ser sentido no setor de turismo, onde o Nordeste, por sua vez, vem se destacando fortemente numa recuperação destacada em relação às demais regiões do país. O setor emprega muito, de maneira informal, e está sendo beneficiado por um câmbio mais elevado.


29/11/2021

Você tem usado dinheiro em espécie ultimamente?

O PIX Saque e o PIX Troco devem te deixar ainda mais seguro para não ter que ir em banco ou terminal de autoatendimento para sacar dinheiro em espécie. Essa nova tecnologia do PIX traz mais comodidade e segurança. Entenda melhor. A partir de agora, é possível pagar com PIX em estabelecimentos comerciais, fazer compras com PIX e pegar um troco de volta. Ou seja, você vai poder pagar pelo produto comprado e sacar da sua conta um valor adicional que pode chegar a R$500,00 por dia em até 8 operações por mês. Se a pessoa preferir, também poderá fazer o PIX Saque, independente de realizar compras. Os estabelecimentos, por sua vez, terão um custo de R$ 0,25 até R$ 0,95 por operações e poderão optar por não realizar operações quando não tiverem caixa ou somente com compras. Para os estabelecimentos comerciais, como supermercados e farmácias, a vantagem está no fato de que hoje eles têm um custo adicional com empresas de transportes de valores e riscos de assaltos. Esse custo será reduzido e ainda poderão oferecer mais um serviço para os clientes. O objetivo do Banco Central não é fazer circular mais papel moeda e sim, facilitar para que as pessoas não precisem andar com cédulas em suas carteiras. Aos poucos, deveremos ver ainda menos dinheiro em espécie circulando e o uso dessa ferramenta será ainda maior e mais útil. A adesão deverá ser gradual, mas traz mais uma inovação importante para o PIX, que já se configurou como uma importante ferramenta para inclusão financeira. Os mais pobres terminam sendo beneficiários diretos dessa tecnologia universalizada e gratuita. Todos ganham com isso.


29/11/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


26/11/2021

Black Friday apresenta crescimento de 4% no valor das vendas online.

Apesar desse crescimento, em termos de volume, permaneceu estável. O ticket médio de R$ 654,78 também apresentou um crescimento de 4% em relação a 2020. Você conseguiu bons descontos nessa Black Friday? O levantamento feito pela empresa de análise de dados Neotrust leva a entender que a inflação deve ter representado o maior impacto para o crescimento de 4% no valor, enquanto o volume se manteve estável. O poder aquisitivo mais baixo, com Dólar mais alto também impactaram. Dentre os segmentos mais procurados na internet, moda e acessórios lideram as compras, seguidos por beleza e perfumaria, alimentos e bebidas, telefonia e eletrodomésticos. Esse resultado chama a atenção, pois antigamente os eletros eram os mais fortes nas vendas online. Com a pandemia, as empresas aceleraram o seu comércio online, se tornando mais acessíveis para os consumidores. As plataformas de logística também se aprimoraram, entregando os produtos em poucos dias. Os consumidores, por sua vez, se sentem mais seguros para ir às compras. A Black Friday pode sim trazer muitas oportunidades, principalmente no comércio online, mas claro, é preciso muita pesquisa antes de comprar, acompanhamento dos preços para não cair numa “Black Fraude”. Mais importante ainda é somente comprar aquilo que você realmente precisa!