PodCasts

24/08/2021

Fusões e Aquisições no mercado educacional brasileiro continuam aquecidas, com um movimento importante: Grupo Vitru compra UniCesumar por R$ 3,2 Bilhões.

O negócio foi fechado com um valor 12,4 vezes o EBITDA (Lucro antes de juros, depreciação e amortização). Para se ter uma comparação, a Ânima pagou um múltiplo de 10,7 vezes pela Laureate. O grande diferencial dessa operação ocorre por conta de uma combinação muito lucrativa: a UniCesumar tem mais de 30 anos de fundada e tem cursos de ensino à distância (EAD) de qualidade, com cursos que receberam nota máxima de avaliação do MEC. Além disso, a universidade tem um curso de graduação em medicina, que representa um filão de mercado muito cobiçado hoje em dia porque as mensalidades são altas, com baixa inadimplência, quase nenhuma evasão e muita concorrência, mostrando resiliência mesmo durante essa pandemia. De fato, no mercado universitário privado brasileiro atual, o curso de medicina está entre os mais caros, pois tem custos elevados, com mensalidades médias de R$ 8,5 Mil. Os cursos em EAD, por sua vez, estão se tornando cada vez mais a realidade no ensino superior privado. Durante a pandemia, com o isolamento, os alunos quebraram a resistência que tinham a essa modalidade e as universidades e professores fizeram investimentos e se adaptaram.


23/08/2021

Expectativas da economia se deterioram, com mais inflação e menor crescimento até o fim do ano.

O Boletim Focus dessa semana apontou mais um recuo na expectativa de crescimento do PIB, para 5,28%. A expectativa de inflação, medida pelo IPCA, subiu novamente, para 7,11%, ambos para 2021. O teto da meta de inflação estipulada pelo Banco Central para 2021 é de 5,25%. Por conta disso, o BC tem elevado gradualmente a SELIC e a previsão, segundo o FOCUS, é que termine 2021 em 7,5%. Esses aumentos da SELIC vem com o intuito de frear a inflação, mas comprometem a oferta e custo do crédito, deixando os financiamentos para o consumo das famílias e das empresas mais caro. Por conta disso, o ano de 2022 deve ter um crescimento menor, agora projetado para 2%. Como contraponto, o IPCA de 2022 está próximo dos 4%.


22/08/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


20/08/2021

Efeitos da pandemia sobre a logística internacional irão perdurar até 2022.

O caos logístico causado pela pandemia afetou diretamente fretes oceânicos e devem seguir impactando até 2022. O mercado está operando no limite de sua capacidade, resultando em escassez de contêineres e falta de navios por todo o planeta. Dentre os parceiros comerciais do Brasil, o mais atingido é a China. A elevação nos preços dos fretes é de 7,35 vezes acima do praticado no mesmo período no ano de 2020. Exemplos desse problema são visíveis na rota Xangai–Santos, que em agosto custava US$ 1,5 mil que e passou a custar US$ 11 mil por contêiner de 20 pés, valor recorde. Para a Europa, o custo também teve forte alta, chegando a triplicar de valor. Nos EUA, a situação se agravou, recentemente também. A ampliação da oferta de navios cargueiros não deve ajudar. Novas entregas só devem acontecer a partir de 2023, até mesmo porque construir esse tipo de navio leva tempo e antes da pandemia não havia essa demanda. A tempestade perfeita se instalou na logística internacional por conta da pandemia, que desequilibrou oferta e demanda de produtos, trouxe problemas, surtos de COVID-19 em portos e navios, trazendo fechamento temporário de portos importantes e proibindo o desembarque de mercadorias. Os impactos no Brasil podem ser sentidos através de quedas nas importações de insumos e produtos fibais e elevação de preços, via repasse dos custos logísticos mais altos.


19/08/2021

Redução de estímulos monetários à frente?

O Fed destacou na ata de sua última reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto, realizada esta semana, que iniciará a discussão sobre a redução gradual da compra de títulos ainda em 2021, assim reduzindo os estímulos monetários. Essa medida foi a maneira que o Banco Central Americano utilizou para atenuar os impactos do COVID-19 sobre a economia do país, iniciando em 2020 com compras de títulos, injetando recursos na economia. O excesso na dosagem dos estímulos trouxe inflação, através de aumentos nos preços das commodities, dentre eles o petróleo e o minério de ferro. Essa sinalização de mudança trouxe volatilidade nos mercados financeiros e no câmbio.


18/08/2021

Turbulências políticas afetam o mercado brasileiro.

As turbulências políticas têm afetado diretamente o mercado brasileiro. Nas últimas semanas, o Índice Bovespa tem cedido de forma muito acelerada saindo de sua máxima histórica 130 mil pontos, alcançados em 07 de junho deste ano, para os atuais 116 mil pontos. As motivações para que o patamar esteja muito distante do que poderia estar neste ano, que deveria marcar o início da recuperação econômica do país, estão diretamente ligadas às tensões políticas. A expectativa era que o Índice encerrasse o ano acima dos 140 mil pontos. O desalinhamento entre os poderes executivo, judiciário e legislativo, principalmente desde o mês de junho, com pautas ligadas ao período eleitoral, tem prejudicado diretamente o andamento das reformas econômicas o que cria instabilidade e insegurança nos mercados, desacelerando o ritmo de investimentos.


17/08/2021

Empresas brasileiras devem bater recorde de IPOs nas bolsas americanas.

As empresas brasileiras devem bater recorde de IPOs nos Estados Unidos. Em 2021, o número e valor levantado por empresas brasileiras com abertura de capital nas bolsas Nasdaq e NYSE deve chegar muito próximo do acumulado nos últimos 5 anos. O valor levantado até o momento passa de US$ 1,44 bilhão, com 4 empresas que fizeram este movimento: Zenvia e Vtex que realizaram seus IPOs no último mês, somadas às de Pátria e Vinci que realizaram seus IPOs em janeiro. Essas operações têm se tornando cada vez mais comum. Desde 2016, foram 13 IPOs realizados por empresas brasileiras nos Estados Unidos, cerca de US$ 9 bilhões foram captados nas bolsas americanas. O volume final depende da aceitação da estréia de 5 outras empresas que aguardam para ingressar na Nasdaq ou NYSE, podendo superar os US$ 5,8 bilhões em negócios ligados à tecnologia. Dentre elas, A Elo e o Nubank devem levantar recursos bilionários.


16/08/2021

Open Banking avança mais uma fase e deve trazer avanços na obtenção de crédito.

O Banco Central deu início à implantação da segunda fase do Open Banking com a disponibilização de dados de transações financeiras entre as entidades bancárias do país. Esse passo representa um grande avanço, principalmente na hora da contratação do crédito. Segundo o Banco Central, o cronograma é de implantação das demais fases até o final de 2022. A adesão ao Open Banking é feita pelo próprio cliente, fazendo com que o mercado possa disponibilizar produtos específicos para cada perfil.


15/08/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


13/08/2021

IBC-Br aponta continuidade na recuperação econômica no segundo trimestre.

O Banco Central divulgou os dados referentes ao Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) referentes ao mês de junho, com avanço mensal de 1,14%. No segundo trimestre, a elevação foi de 0,12%. No primeiro trimestre, o IBC-Br havia apresentado crescimento de 1,63%. Junho reverteu o resultado negativo de maio de -0,55%. Apesar do PIB oficial ser divulgado pelo IBGE, a expectativa é positiva após alta no setor de serviços de 1,7% em junho. O setor representa mais de 70% do PIB nacional.