PodCasts

27/06/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


25/06/2021

IPCA-15 acelera e tem a maior elevação no mês de junho desde 2018, com 0,83%.

O IPCA-15, prévia da inflação, subiu 0,83% no mês de junho. Em 2021, o IPCA-15 acumula alta de 4,13%. Nos últimos 12 meses, a alta é de 8,13%, muito acima do teto da meta de 5,25% para 2021. No mês de maio a elevação havia sido de 0,44%. Com a aceleração da inflação, o COPOM dece elevar a SELIC em 1 p.p., ao invés dos 0,75 p.p. já esperados para tentar convergir o IPCA para o teto da meta. Energia elétrica, devido à condição climática, e gasolina, por conta do mercado internacional, foram os principais responsáveis. Os alimentos apresentaram certa acomodação, o que é bom. Todas as regiões pesquisadas apresentaram altas significativas, onde Recife apresentou elevação de 1,08%, acima da média.


24/06/2021

Renda Fixa volta a atrair investidores após alta da SELIC.

Os investimentos de renda fixa têm recebido uma migração de investidores que fizeram o movimento inverso ao que se deu no cenário anterior de mínima histórica da taxa SELIC quando estava em 2,00% ao ano. Naquele momento, a B3 recebeu o maior número de investidores pessoa física da história. Com o novo cenário, com SELIC entra em tendência de alta, o fluxo de saída de investidores pessoa física aumentou entre os meses de março e junho. Quando se observa a captação líquida mensal dos fundos de renda fixa, o saldo é bastante positivo no período, mais de R$ 6,2 Bilhões, o que indica, claramente uma migração de investidores, voltando da renda variável para a fixa. É importante ficar atento, porém, a alguns pontos importantes nessa migração entre tipos de investimentos. Primeiro, é preciso levar em consideração a Inflação que se mantém próximo dos 6%, enquanto a SELIC dece fechar o ano em 6,5%, o que acaba não sendo compensatório para o investidor. Segundo, historicamente, a renda variável leva vantagem sobre o desempenho da renda fixa no longo prazo. Portanto, planejamento é fundamental para entender a diferença entre curto e longo prazos e o tipo de investimento que você quer fazer.


23/06/2021

Governo Federal estuda mudanças no imposto de renda.

O Governo Federal tem discutido com o Ministério da Economia uma atualização na isenção do Imposto de Renda Pessoa Física. A atualização no valor da isenção muda de R$ 1.900,00 para R$ 2.500,00, sendo compensada com uma redistribuição da renúncia fiscal com as demais faixas de renda, com ajustes não lineares. As faixas de renda superiores assim teriam o aumento diluído entre si. Com essa atualização de valor, o intuito é aumentar significativamente o número de pessoas que serão beneficiadas. Outro ponto que está em discussão é a tributação da distribuição de lucro das empresas. A mudança em análise traz uma isenção para distribuição de lucros até 20 mil reais mensais, tributando o que exceder. Em contrapartida, o Imposto de Renda das empresas terá uma diminuição na alíquota de 25% para 20%. Também haveria o fim de benefícios tributários sobre os CRis e CRas, e fundos exclusivos. Porém esta mudança pode atrapalhar o financiamento do agronegócio.


22/06/2021

Ata do COPOM detalha a perspectiva do BC para o cenário econômico em 2021.

A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (COPOM) foi apresentada nesta terça-feira (22) de junho, detalhando os motivos para a elevação da SELIC de 3,5% para 4,25% ao ano. O COPOM destacou preocupação com a inflação atual, com uma demanda que apresenta resiliência e lentidão na reorganização nas condições do lado da oferta de produtos e serviços. Outro ponto de destaque foi a preocupação com o cenário hídrico, onde o patamar das tarifas do setor de energia elétrica deve manter-se em alta, fazendo com que a inflação se mantenha pressionada no curto prazo. A recente recuperação do Real frente ao Dólar deve ajudar a atenuar a inflação, segundo o Comitê, mas com efeito positivo menor que os impactos negativos. Por conta disso, o COPOM sinalizou que pode elevar a SELIC em um ritmo ainda mais forte, chegando a uma neutralidade de juros, de forma mais rápida.


21/06/2021

Medida Provisória da Melhora do Ambiente de Negócios deve ser votada essa semana.

A MP 1040/2021, que tem como principal objetivo melhorar o ambiente de negócios no Brasil, deve ser votada no Congresso Nacional essa semana. Os principais pontos contemplados na MP envolvem a eliminação de burocracias na abertura de empresas; a ampliação de competências e prazos das assembleias gerais de empresas; a melhoria nas condições relativas ao comércio exterior; e, mais segurança jurídica na intenção de reduzir processos em tramitação na justiça. O Brasil se encontra na 124ª colocação de 190 países no ranking Doing Business, que é revisado anualmente pelo Banco Mundial. Esse ranking avalia o ambiente de negócios e a facilidade de empreender nos países considerados. A MP apresentada tem como foco colocar o Brasil entre os 100 primeiros colocados. A facilitação em fazer negócios traz o resultado mais importante de todos: geração de empregos e renda.


20/06/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


18/06/2021

Empréstimos para novos negócios têm alta de 41%!

Segundo levantamento da Lendico, fintech especializada em empréstimo pessoal on-line, o volume de pedidos de empréstimos para abertura de novos empreendimentos se elevou em 41% no mês de maio. A fintech recebe mais de 8 mil pedidos de empréstimos diariamente, onde 22% do total é destinado para novos negócios. A informalidade tem crescido no setor de serviços, setor que mais sofreu com os impactos econômicos das medidas restritivas do COVID-19. O resultado é uma taxa de desemprego recorde, 14,7% da população está desempregada, 14,8 milhões de brasileiros sem emprego, segundo o IBGE. A mentalidade do brasileiro é de buscar soluções, abrindo novos negócios e para isso o crédito se faz necessário. Porém, é preciso se preparar antes. Um plano de negócios ajuda a entender melhor em que você vai investir e compreender a viabilidade econômico-financeira da sua ideia. Estudar as diferentes modalidades de crédito disponíveis no mercado, seus custos e trâmite é fundamental para não correr o risco de ficar com um endividamento elevado. Bancos de fomento, como o Banco do Nordeste, ou cooperativas de crédito, podem apoiar o empreendedor com condições muito favoráveis, como taxas de juros atrativas e prazos mais longos, ao contrário de outras modalidades de crédito de mais fácil acesso, mas que acabam apresentando um custo excessivo ao negócio. Outro ponto importante é contratar especialistas em consultoria econômico-financeira que viabilizam o crédito e fazem planos de negócios, como a CEDES Consultoria e Planejamento, que conta com um histórico de 100% de seus projetos aprovados, para auxiliar o empreendedor a obter sucesso no seu novo negócio.


17/06/2021

MP da Privatização da Eletrobras vai à votação no Senado.

A MP 1031/2021, que trata da privatização da Eletrobras, está em discussão para votação no Senado. O projeto inicial sofreu diversas alterações, emendas ao projeto inicial, chamadas de jabutis que podem elevar o custo da energia para o consumidor final, ao invés de trazer redução. Retrocessos, como a compra de carvão mineral através de subsídios, com permissão estendida até 2035, a obrigação de implantação de termelétricas nas regiões metropolitanas de todas as capitais brasileiras, são alguns pontos que podem tornar a energia elétrica brasileira ainda mais cara. Após a votação, apenas a sanção presidencial poderá retirar estes pontos do projeto aprovado.


16/06/2021

Em dia de Super Quarta, SELIC tem elevação de 0,75 p.p. e juros americanos não mudam.

O Comitê de Política Monetária (COPOM) do Banco Central decidiu, nesta quarta-feira, elevar a taxa SELIC em 0,75 p.p, terceiro aumento consecutivo. Com a decisão, a taxa básica de juros da economia subiu para 4,25% ao ano. A projeção agora é que a SELIC supere os 6% ao final de 2021. O Comunicado do COPOM apontou preocupação renovada com a inflação, por conta de uma Oferta que ainda não se estabilizou e uma Demanda que continua resiliente. Soma-se a isso a questão hídrica com elevação no custo da energia elétrica. A redução do câmbio foi levada em consideração mas não dece ser suficiente para ajudar a conter o ritmo de reajuste dos preços. Portanto, o COPOM comunicou que na próxima reunião deverá elevar a SELIC, novamente, em 0,75 p.p., mas que poderá ser até mais agressivo caso a inflação persista. Nos Estados Unidos, a decisão foi de manutenção do atual patamar para a taxa de juros, entre 0% e 0,25% ao ano, mantendo a compra de títulos no mesmo patamar atual. O Fed revisou a estimativa de inflação de lá para este ano, de 2,4% para 3,4% ao ano. O Fed também deixou mais claro que a taxa de juros do país deve iniciar um processo de elevação em 2023.