PodCasts

28/01/2021

Brasil gera 142 mil vagas formais em 2020, apesar da pandemia.

Dados do Ministério da Economia apontam que o Brasil tem reagido bem na geração de empregos, mesmo diante da pandemia do COVID-19. O Caged references ao total de 2020 apresentou que foram criadas 142.690 vagas líquidas de empregos formais. O cálculo leva em consideração a diferença entre postos de empregos fechados e abertos durante o período. Vale lembrar que no auge da pandemia, o país registrou 1,618 milhão de demissões líquidas. Hoje também foi divulgada a Taxa de Desemprego do país, segundo a PNAD Contínua (IBGE), para o trimestre encerrando em novembro. Houve nova redução para 14,1%, mas ainda há 14 milhões de pessoas desempregadas.


27/01/2021

Ministério da Economia já tem proposta alternativa para a extensão do Auxílio Emergencial.

O Ministério da Economia estuda maneiras para uma possível extensão do auxílio emergencial. A equipe econômica demonstra preocupação com o impacto nas contas públicas, porém devido a fraca atividade econômica causada pelas restrições sociais no combate ao COVID-19, o ministério tem buscado alternativas, fora do teto de gastos para estender o auxílio de forma reduzida e somente para os mais vulneráveis. A proposta é que o valor gire em torno de R$7 a R$10 Bilhões mensais, com um valor de R$ 200,00 por pessoa, próximo do valor atual do Bolsa Família. O modelo seria adotado como um crédito extraordinário aprovado junto ao Congresso Nacional, tendo como contrapartida restrições orçamentárias seriam como o congelamento no aumento do salário de servidores de estados e municípios. As mudanças seriam validadas via PEC Emergencial.


26/01/2021

IPCA-15 tem alta de 0,78% em janeiro, maior para o mês desde 2016.

Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) divulgado pelo IBGE, a prévia da inflação oficial ficou em 0,78% em janeiro, após registrar 1,06% em dezembro de 2020. Esse é o maior resultado para um mês de janeiro desde 2016, quando o índice foi de 0,92%. Em 12 meses, o IPCA-15 acumula alta de 4,30%, acima dos 4,23% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Em janeiro de 2020, a taxa foi de 0,71%. A conta de energia elétrica foi o item que ajudou a desacelerar a inflação. Já o grupo de Alimentação e Bebidas segue pressionando.


25/01/2021

Bolsonaro vincula extensão do Auxílio Emergencial à PEC Emergencial.

Bolsonaro está procurando uma forma de prorrogar o Auxílio Emergencial e estuda vincular o programa social à votação da PEC Emergencial, que abre espaço fiscal em contrapartida ao auxílio, elevando o corte de gastos, mas que enfrenta forte resistência junto aos servidores públicos. Devido à lentidão no plano nacional de vacinação, as expectativas econômicas para o ano de 2021 estão encontrando uma dura realidade de início de ano. No ritmo atual, será necessário até o fim de 2021 para imunizar adequadamente a população. O número de casos do COVID-19 está crescendo num ritmo muito forte, fazendo com que muitos estados e municípios aumentem as restrições de deslocamento das pessoas. Isso traz um impacto forte no setor de serviços, principal atividade econômica do país.


25/01/2021

O que vem por aí na Semana Econômica!

Informações importantes, toda segunda-feira, trazendo a semana em indicadores e movimentações da economia e do mercado. Não deixe de escutar e mantenha-se informado.


22/01/2021

Incerteza sobre teto de gastos e aumentos de casos do COVID-19 fazem Ibovespa fechar em queda pela 3ª vez consecutiva.

O Ibovespa fechou em queda pela terceira vez consecutiva, após incertezas da manutenção do teto de gastos, diante de uma possível necessidade de extensão do auxilio emergencial que aumenta o risco fiscal. A pressão sobre as contas públicas fez com que os investidores recuassem, acrescido da elevação dos casos de COVID-19 e a lentidão no plano de vacinação nacional, causado por disputas políticas, que faz com que as medidas restritivas retomem e dificultem ainda mais a retomada da atividade econômica.


21/01/2021

PIB cresceu 1,1% em novembro, segundo FGV.

Levantamento da FGV apontou que no mês de novembro o PIB cresceu 1,1%. Na comparação com o mesmo período de 2019, a economia apresentou uma queda de 0,6%. De acordo com a FGV, essa foi a queda menos intensa desde fevereiro de 2020, período anterior a pandemia do COVID-19. Esses dados são mais otimistas que os anteriormente divulgados pelo Banco Central, de 0,59%, através do IBC-Br.


20/01/2021

COPOM manteve a SELIC a 2,0% ao ano.

O COPOM realizou sua primeira reunião no ano de 2021 nesta quarta-feira e decidiu manter a SELIC em 2% ao ano, terceira reunião consecutiva em que a taxa é mantida neste patamar.


19/01/2021

Joe Biden será empossado como 46º presidente dos EUA.

O Democrata Joe Biden tomará posse como o 46° Presidente dos EUA. Mudanças importantes devem acontecer logo nos próximos dias, como a reincorporação dos EUA ao Acordo de Paris sobre mudanças climáticas, um pacto global para reduzir as emissões de carbono com metas e datas pré-definidas; revogação do veto à entrada de viajantes de países de maioria muçulmana; extensão da política nacional de restrição a despejos de domicílios por conta da pandemia, dentre outras. A retomada das negociações com entidades multilaterais, como a OMC, deve predominar. Para o Brasil, a necessidade de uma postura mais pragmática será importante no que diz respeito ao futuro dos acordos comerciais, onde a questão ambiental deve ser levada de forma mais destacada para evitar possíveis vetos em futuras negociações entre os países.


18/01/2021

IBC-Br tem sétima alta consecutiva, com alta de 0,59%.

O Banco Central divulgou o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br), que serve como prévia do PIB, para o mês de novembro. A alta foi de 0,59% em comparação com o mês de outubro, apontando que o indicador teve sua sétima alta seguida. Na comparação com o mesmo mês de 2019, o indicador recuou 0,83%. Em novembro, o índice atingiu os 137,41 pontos, porém, segue abaixo do patamar de 140,02 pontos, registrado em fevereiro, antes da pandemia. Em 12 meses até novembro de 2020, houve queda de 4,15%. No acumulado do ano até novembro, a queda é de 4,63%. Estes números estão muito alinhados com as expectativas do mercado.